Dólar em alta? Saiba como economizar em sua viagem para Orlando

Orlando nas Férias Leave a Comment

Um cofre em formato de porquinho, que remete à economia em viagens mesmo com o dólar em alta

Vai viajar para Orlando e o dólar em alta está te deixando preocupado? Já faz um tempo que o preço do dólar não tem sido muito favorável para os brasileiros. Porém, isso não precisa ser um motivo para você desanimar da viagem ou achar que não conseguirá aproveitar como deveria.

Isso porque, com algumas dicas, é possível economizar um pouquinho aqui e ali sem passar sufoco. Entenda melhor como o dólar em alta afeta o orçamento da sua viagem e os principais meios de aproveitar muito gastando pouco. Continue lendo!

Dólar em alta: planejamento é a solução

Ao viajar para qualquer outro país, um dos aspectos que precisamos nos atentar é a moeda do destino. No caso dos EUA, trata-se do dólar, que não tem apresentado cotações atrativas recentemente. E por que isso influencia tanto nas férias em Orlando?

Além das compras e de todos os gastos durante a viagem, o dólar em alta impacta também os preços dos hotéis, das passagens aéreas e ingressos, mesmo que você faça as reservas no Brasil e pague em reais. Afinal, o que define o valor na nossa moeda, além das taxas cobradas, é a cotação do dólar.

Mas não deixe que isso faça você desistir de curtir sua viagem como merece! Se você planejar as férias com antecedência e montar seu roteiro, será possível economizar bastante em muita coisa. Além disso, fica bem mais simples organizar a vida financeira e guardar as quantias necessárias para cobrir todos os gastos sem ter que voltar de viagem com dívidas.

Como fazer um planejamento financeiro

Ter plena consciência dos gastos é o primeiro passo para economizar e superar os obstáculos trazidos pelo dólar em alta. Sendo assim, anote absolutamente todas as despesas da viagem. Para facilitar, vale a pena colocá-las numa tabela ou usar uma planilha para organizar todos os gastos.

Assim, você poderá visualizar melhor e fazer os ajustes necessários conforme as suas necessidades. Por exemplo, se o seu principal objetivo em Orlando é conhecer os parques temáticos, uma saída para o dólar em alta é reduzir os gastos com as compras. Tudo vai depender do perfil de cada um e quais são as prioridades das férias.

Vale a pena levar dinheiro em espécie?

Uma das vantagens de levar dinheiro vivo para Orlando é que ele te ajuda a economizar um pouquinho. Quando comparado aos cartões de crédito, a diferença pode ser bastante significativa. Além da taxa de IOF cobrada em ambos os casos, os cartões costumam ter cobranças maiores e cotações menos favoráveis.

Portanto, o dinheiro em espécie é a opção em que o turista perde menos na troca, ainda que as casas de câmbio e os bancos cobrem taxas de acordo com as próprias políticas. Só é preciso ficar atento à cotação, o que pode ser um pouco complicado para quem não entende do assunto.

O que você pode fazer é acompanhar os gráficos pela internet. Estando o dólar em alta, assim que o preço baixar, aproveite para comprar algumas notas. Mas nunca compre uma quantidade muito grande de uma vez, pois evita prejuízos se a moeda baixar ainda mais.

Procure trocar seu dinheiro em casas de câmbio conhecidas ou recomendadas por alguém.

Outra vantagem de ter dinheiro no bolso durante a viagem é a praticidade. Assim, você pode pagar o que precisar a qualquer hora, sem depender do estabelecimento aceitar o seu cartão ou não. Sobretudo, facilita na hora de dar gorjetas em restaurantes, pagar táxis, etc.

7 meios de economizar mesmo com o dólar em alta

1. Época da viagem

Como qualquer destino turístico, Orlando possui períodos considerados de baixa e alta temporada, portanto, pense na melhor época para viajar. Se a ideia é economizar, evite os meses mais disputados, que incluem os meses de junho, julho, dezembro, janeiro e fevereiro. Muita gente acaba viajando no meio do ano por conta das férias escolares, o que faz a cidade ficar lotada.

Uma mão fazendo anotações sobre como economizar com o dólar em alta, com papéis e uma xícara sobre a mesa

Planejar sua viagem, especialmente com o dólar em alta, é muito importante para garantir que você economize

As datas próximas aos feriados americanos também devem ser evitadas, sobretudo com o dólar em alta. Nesses períodos e durante a alta temporada, tudo fica mais caro, principalmente as passagens aéreas e hospedagem. Além do preço, há ainda outros fatores que é preciso considerar, como os estabelecimentos cheios e as longas filas, por exemplo.

Dessa maneira, dê preferência aos meses de março, abril, maio, agosto, setembro, outubro e novembro, que correspondem à baixa temporada. Nessas épocas, os preços dos hotéis, passagens aéreas e aluguel de carros costumam ficar mais baratos. E as empresas ainda fazem promoções vantajosas para os turistas, que acabam compensando o dólar em alta.

2. Compra de passagens

Em relação às passagens aéreas, um dos fatores que influenciam os preços é a época da viagem, como foi dito na dica anterior. Portanto, durante os meses de alta temporada os valores costumam ser mais atrativos e as chances de encontrar tarifas promocionais aumentam bastante.

Se você tem flexibilidade para marcar as férias, melhor ainda! Assim, você pode escolher o período da viagem de acordo com as datas mais baratas disponíveis. Além de as passagens serem um dos maiores gastos, elas consomem uma parte ainda maior do orçamento com o dólar em alta.

Mas como é possível descobrir quais datas possuem os preços mais baixos? Uma boa dica é utilizar os sites comparadores de preços, como Skyscanner, Google Flights, Kayak, Decolar, entre outros. Eles funcionam como ótimas ferramentas para você comparar os preços entre companhias aéreas, de acordo com datas, voos diretos ou com escala, etc.

Vale a pena pesquisar bem os valores para conseguir fazer uma boa economia. E, claro, uma das coisas mais importantes é comprar as passagens com antecedência. Quanto mais perto estiver da data da viagem maiores são os preços.

3. Reserva de hospedagem

Uma mão abrindo a porta de um quarto. A pessoa está seguindo as dicas de como economizar com a hospedagem em Orlando com o dólar em alta.

Com o dólar em alta, o melhor hotel ou casa para a sua hospedagem em Orlando depende de alguns fatores, entre eles, a quantidade de pessoas que vão viajar com você

Outro grande gasto da viagem é a hospedagem, que diante do dólar em alta fica mais cara ainda. Por ser uma das cidades turísticas mais visitadas do mundo, Orlando oferece inúmeras opções para turistas de todos os perfis. Sendo assim, você pode pesquisar sobre elas para escolher uma que caiba no seu bolso e atenda às suas necessidades.

Muita gente sonha em ficar hospedado dentro do complexo da Disney. No entanto, é lá que estão os hotéis mais caros. Em outras partes da cidade, é possível encontrar lugares mais em conta, que oferecem tudo o que você precisa e ainda incluem café da manhã.

Caso você esteja em um grupo com pelo menos 6 pessoas, a melhor maneira de poupar uma grana é alugar uma casa. Esta tem sido uma alternativa cada vez mais procurada pelos turistas que visitam Orlando. Além do preço atrativo, as casas de aluguel por temporada oferecem inúmeros benefícios.

Elas costumam estar localizadas dentro de condomínios que contam com uma estrutura completa de lazer e funcionam como verdadeiros resorts. Isso também garante maior segurança, já que é feito um controle de quem entra e quem sai. Ou seja, diferentemente do hotel, você não precisa se preocupar com o roubo de itens de valor.

Maior conforto e comodidade também fazem parte das vantagens de alugar uma casa. Elas são equipadas com tudo o que você precisa para a sua estadia. Dessa maneira, você pode, por exemplo, fazer algumas refeições em casa e usar o dinheiro para gastar com outras coisas.

4. Aluguel de carro

Se você nunca foi para Orlando, saiba que a melhor maneira de andar pela cidade é de carro. Isso porque não há muitas opções de transporte público e os parques, outlets e shoppings ficam afastados um do outro. Diante disso, a maioria dos turistas opta por alugar um veículo.

Mesmo com o dólar em alta, ter um carro próprio para se locomover pela cidade é a opção mais vantajosa. Andar de táxi e mesmo de Uber, dependendo de quantas pessoas estiverem no grupo, não compensa. Além disso, estando com um carro alugado, você poupa tempo, tem mais conforto, consegue carregar as compras de todo mundo, entre outras facilidades.

Assim como no caso das passagens aéreas, para encontrar os melhores preços, vale a pena utilizar os comparadores. Entre os mais famosos estão o Rent Cars, Expedia, Rental Cars e Kayak. Fique sempre de olho, pois de vez em quando eles criam promoções e ofertas especiais.

Aqui, a mesma dica de reservar com antecedência é válida. Faça isso assim que marcar a data da viagem para conseguir economizar. Já que você tem que lidar com as consequências do dólar em alta, procure fazer as reservas ainda no Brasil para não ter que gastar com IOF e conseguir melhores condições de pagamento.

5. Compra de ingressos

Uma mão segurando um ingresso para a Universal Orlando Resort. Uma pessoa que adquiriu seu ingresso antecipado para não sofrer tanto com o dólar em alta.

É interessante adquirir seus ingressos o quanto antes para não sentir muito o impacto do dólar em alta

Mesmo como o dólar em alta, os parques temáticos são paradas obrigatórias de quem viaja para Orlando. Sendo assim, veja quanto tempo você tem de férias e quais parques gostaria de visitar durante o período. Lembre-se de que os parques são enormes e há filas para a maioria das atrações. Por isso, é melhor deixar pelo menos um dia inteiro para conhecer cada parque com calma.

Feito isso, compre os ingressos assim que puder. Mesmo que você viaje durante a baixa temporada, as chances de conseguir as entradas por preços mais atrativos são bem maiores ao comprar antes. Afinal, os valores correm o risco de aumentar gradativamente. E o mesmo vale para shows, espetáculos e outros eventos.

6. Alimentação

Você provavelmente já deve ter ouvido falar do quão barato pode ser comer fast food nos EUA. Algumas redes fazem ofertas realmente impressionantes que oferecem, por exemplo, um sanduíche por apenas 1 dólar. Mesmo que você curta comer em fast food, ninguém aguenta viver disso a viagem toda.

Mas onde comer em Orlando fora dos fast food? Opções de restaurantes não faltam na cidade. E é possível, sim, comer bem sem ter que gastar muito. Mais do que olhar apenas os preços, procure ter uma ideia do tamanho dos pratos. Quando é possível dividir, mesmo que o restaurante cobre um pouquinho mais caro, pode valer a pena.

Outra coisa que você precisa conhecer é a cultura de cupons de desconto. Muita gente já conhece os cupons oferecidos pelos outlets, shoppings e outras lojas de Orlando. Mas nem todo mundo sabe que até mesmo os restaurantes oferecem vouchers para trocar por descontos, entrada ou sobremesa.

Um prato de comida coma alface, pimenta, aluns frutos do mar. Outro prato atrás com uma massa frita e um molho ao lado em um pote. Pesquisar onde comer também é uma ótima opção para economizar com o dólar em alta.

Você pode comer sem gastar muito em Orlando, mesmo com o dólar em alta. É questão de pesquisar qual é a melhor opção para o seu bolso

Dentro dos parques temáticos, alimentação pode acabar saindo um pouco cara. Por isso, uma dica para economizar diante do dólar em alta é levar a própria comida. O que você pode fazer é ir a um supermercado e comprar sanduíches prontos, snacks e bebidas para reabastecer as energias durante o dia nos parques.

7. Passeios gratuitos

Vale ressaltar aqui que outra maneira excelente de economizar é incluir alguns passeios gratuitos no roteiro de viagem. E não precisa nem sair da cidade para isso. Bem no centro de Orlando está localizado o Lake Eola, por exemplo, um lindo parque onde você pode apreciar a paisagem, caminhar ou apenas relaxar.

Há ainda os centros de entretenimento, como o Disney Springs e o Boardwalk. Nesses locais você encontra diversos restaurantes, lojas e atrações. A entrada é gratuita assim como o estacionamento.

Também é possível aproveitar outros tipos de passeios. Logo ao lado de Orlando, por exemplo, está Celebration, uma comunidade idealizada por Walt Disney que faz você se sentir dentro de um filme. Outra cidades próximas também compensam um bate e volta, como é o caso de Winter Park e das praias de Orlando que ficam a pouco tempo de carro.

Estas dicas te ajudaram? Não deixe o dólar em alta te impedir de viajar e realizar o sonho de conhecer a terra da magia!

Confira mais dicas sobre Orlando

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *